Guloseimas deixam de estar à vista nas escolas

Novas recomendações da Direção Geral de Saúde vêm a público esta semana, no sentido de reforçar a necessidade das escolas não colocaram à vista dos seus educandos o conjunto de alimentos mais prejudiciais à saúde, frequentemente designados de guloseimas. Aqui constam todos os doces que geralmente se encontram nas montras de bares e bufetes escolares, mas também os tão apetitosos salgadinhos, como rissóis, pastéis de bacalhau, entre outros. Esta recomendação, que corrobora a legitimidade de semelhantes ações desenvolvidas pela LPPS no âmbito dos projetos Prosaude e Sorrir para a Saúde, poderá ser consultada no seguinte link.

Crise pode aumentar prevalência de obesidade infantil

Ana Rito, investigadora do Instituto Nacional Ricardo Jorge e coordenadora do novo programa MUN-SI: Promoção de Saúde Infantil em Municípios, apresentado esta segunda-feira, em Oeiras, alerta para o facto das situações extremas de má nutrição - desnutrição e obesidade - serem maioritariamente encontradas entre os contextos familiares mais carenciados. Esta tendência é ainda mais preocupante nos tempos que correm, em que as situações económicas das famílias tendem a agravar-se. Conheça a notícia na íntegra aqui.

Ministério da Educação apresenta novo programa contra obesidade infantil

Ministério da Educação apresenta novo programa contra obesidade infantil - MUN-SI - no âmbito do qual foi desenvolvido um manual de nutrição infantil com actividades para crianças do ensino básico. Conheça a notícia aqui, e verifique se o seu município está incluído nesta nova edição do programa.

Fosso entre ricos e pobres diminuiu mas Portugal é ainda um dos mais desiguais

A situação económica do país tem-se agravado nos últimos tempos. O impacto deste agravamento na situação social do país preocupa a LPPS e evidencia ainda mais a necessidade de uma ação concertada entre setores de atividade para travar o ciclo de empobrecimento das famílias portuguesas. Portugal é hoje um dos países mais desiguais da Europa, apesar de uma tendência estrutural de diminuição do fosso entre ricos e pobres. Tendência esta que, como noticia a Visão, poderá inverter-se na atual conjuntura político-económica.