Re

 

Informação sobre a Legionella

Numa altura de receios e dúvidas por parte da população sobre a emergência da Legionella, a LPPS veicula as recomendações da Direção Geral da Saúde almejando contribuir para a disseminação de discursos e práticas mais informados.

 

O que é?

A Legionella pneumophilaé uma bactéria que vive em ambientes aquáticos naturais, como seja a superfície de lagos, de rios ou águas termais. Tendo em conta que existem neste momento alguns locais de maior risco, é possível encontrar também a Legionella em sistemas artificiais de abastecimento, na rede de distribuição de água de cidades, em torres de refrigeração, assim como em instalações como duches e sistemas de ar condicionado. Esta bactéria coloniza equipamentos de refrigeração e outros que contenham água tépida, ou seja, que se encontrem entre os 20ºC e os 43ºC, sendo que o seu crescimento mais favorável entre os 35ºC e 45ºC.

 

Como se transmite?

A Legionella não se transmite de pessoa a pessoa, nem pela ingestão de água contaminada. A infeção transmite-se por via aérea, ou seja respiratória, por meio da inalação de gotículas de água (aerossóis) contaminadas com bactérias.

 

Podemos realizar as mesmas tarefas?

É natural que exista algum receio, contudo as autoridades de saúde sublinham que as pessoas podem beber e/ou cozinhar com a água da torneira. “Esta infeção só se transmite de uma forma especialmente bizarra, só respirando a água pelas gotículas, pelos aerossóis”, sublinha o Sr. Diretor-Geral de Saúde.

Relativamente ao banho, o conselho das autoridades de saúde para a população das zonas afetadas pela Legionella é no sentido de optarem por banhos sem duche, evitando a “grande pressão” das torneiras. A Direção Geral de Saúde sugere ainda a higienização da cabeça do duche (o chamado “telefone”) com numa solução de água com lixívia durante aproximadamente 30 minutos, mantendo igualmente os termoacumuladores regulados para temperaturas superiores a 75 ºC.

A Direção Geral da Saúde salienta que devem ser evitados, por agora, jacúzis e hidromassagens enquanto a fonte do problema não for identificada.

 

Importante

Estas medidas de precaução são particularmente dirigidas às pessoas dos locais já identificados e onde se registaram casos de infeção, devendo a restante população estar atenta às recomendações da Direção Geral da Saúde. 

 

Para mais informações consulte os seguintes documentos:

- Guia prático sobre a Legionella

- Comunicado Diretor Geral da Saúde 11/11/2014

Informação sobre a Legionella

Numa altura de receios e dúvidas por parte da população sobre a emergência da Legionella, a LPPS veicula as recomendações da Direção Geral da Saúde almejando contribuir para a disseminação de discursos e práticas mais informados.

 

O que é?

A Legionella pneumophilaé uma bactéria que vive em ambientes aquáticos naturais, como seja a superfície de lagos, de rios ou águas termais. Tendo em conta que existem neste momento alguns locais de maior risco, é possível encontrar também a Legionella em sistemas artificiais de abastecimento, na rede de distribuição de água de cidades, em torres de refrigeração, assim como em instalações como duches e sistemas de ar condicionado. Esta bactéria coloniza equipamentos de refrigeração e outros que contenham água tépida, ou seja, que se encontrem entre os 20ºC e os 43ºC, sendo que o seu crescimento mais favorável entre os 35ºC e 45ºC.

 

Como se transmite?

A Legionella não se transmite de pessoa a pessoa, nem pela ingestão de água contaminada. A infeção transmite-se por via aérea, ou seja respiratória, por meio da inalação de gotículas de água (aerossóis) contaminadas com bactérias.

 

Podemos realizar as mesmas tarefas?

É natural que exista algum receio, contudo as autoridades de saúde sublinham que as pessoas podem beber e/ou cozinhar com a água da torneira. “Esta infeção só se transmite de uma forma especialmente bizarra, só respirando a água pelas gotículas, pelos aerossóis”, sublinha o Sr. Diretor-Geral de Saúde.

Relativamente ao banho, o conselho das autoridades de saúde para a população das zonas afetadas pela Legionella é no sentido de optarem por banhos sem duche, evitando a “grande pressão” das torneiras. A Direção Geral de Saúde sugere ainda a higienização da cabeça do duche (o chamado “telefone”) com numa solução de água com lixívia durante aproximadamente 30 minutos, mantendo igualmente os termoacumuladores regulados para temperaturas superiores a 75 ºC.

A Direção Geral da Saúde salienta que devem ser evitados, por agora, jacúzis e hidromassagens enquanto a fonte do problema não for identificada.

 

Importante

Estas medidas de precaução são particularmente dirigidas às pessoas dos locais já identificados e onde se registaram casos de infeção, devendo a restante população estar atenta às recomendações da Direção Geral da Saúde. 

 

Para informações mais detalhadas consulte os documentos em anexo.  

Continuar...